Amar a Pátria
é um dever de todo o cidadão

Domingo, 12 de Fevereiro de 2006

Crise, portuguesa

A ineficiência energética em Portugal agrava a crise económica e social

por Eugénio Rosa


A baixa eficiência como é utilizada a energia em Portugal é um dos problemas estruturais da nossa economia, já que é causa e consequência de distorções que persistem nela, e que não tem merecido a atenção dos sucessivos governos, incluindo o actual. Em Portugal para produzir um euro de riqueza (PIB) gasta 2,47 vezes mais energia do que em França; 2,4 vezes mais do que na Áustria; 2,3 vezes mais do que na Alemanha; 2,1 vezes mais do que na Finlândia; 1,68 vezes mais do que na Irlanda; 1,54 vezes do que na Bélgica; 1,49 vezes mais do que na Espanha; 1,47 vezes mais do que na Itália; 1,42 vezes mais do que na Grécia; 1,34 vezes mais do que na Holanda; 1,26 vezes mais do que no Luxemburgo. Mesmo países que entraram para a União Europeia em Maio de 2004, como é o caso da Polónia, tem uma maior eficiência energética superior à de Portugal.

Como consequência, a factura energética paga pelo País, que importa cerca de 88% da energia primária que consome, é extremamente pesada e está a aumentar de uma forma vertiginosa. De acordo com dados do INE, o aumento do custo das importações de Combustíveis Minerais, ou seja, de petróleo, entre 2004 e 2005, foi superior a 38%. Em 2004, em cada 100 euros de importações portuguesas dos países extracomunitários 30 euros já eram de Combustíveis Minerais, ou seja, de petróleo e derivados. Em 2005, portanto um ano depois, a relação já é de 38 euros em cada 100 euros de importações. Bastava aumentar a eficiência na utilização da energia em Portugal para o nível de eficiência atingido na Finlândia, por ex., para reduzir a factura energética portuguesa e a dependência energética do País para cerca de metade.

Em Portugal, entre 1994 e 2005, o preço da electricidade para os consumidores industriais diminuiu em cerca de 15,7%, enquanto o preço da electricidade para os consumidores domésticos, ou seja, para as famílias aumentou em 4,5%. Em 2005, em Portugal o preço da electricidade para os consumidores industriais é superior ao preço médio comunitário em 5,9%, e o preço da electricidade para os consumidores domésticos é superior ao preço médio comunitário em cerca de 20%. Preços de energia eléctrica muito superiores ao preços médios comunitários associados a uma baixíssima eficiência energética tornam a factura da energia extremamente pesada quer para as empresas quer para os consumidores domésticos, e contribuem para o agravamento da crise.

Um sector onde a ineficiência energética é extremamente elevada é o dos transportes. Portugal é o país da União Europeia onde o transporte individual tem crescido mais em prejuízo do transporte colectivo (nas AM de Lisboa e do Porto, entre1991 e 2001, a utilização do transporte individual aumentou de 24% para 46%) e onde o transporte rodoviário de mercadorias tem o peso mais elevado em prejuízo do transporte ferroviário e marítimo. Portugal apesar de ser um pais com reduzidos recursos, nomeadamente energéticos, é o país da U.E. que utiliza da forma mais ineficiente e irracional a energia, um bem escasso e de preço cada vez mais elevado.

A profunda distorção que se verifica a nível da economia, na utilização do recurso escasso que é a energia, é a consequência da ausência de qualquer politica séria para alterar as profundas distorções verificadas neste campo, que fragilizam a economia e a sociedade. Ao se ter investido fundamentalmente em auto-estradas e em túneis para trazer o transporte individual para dentro das grandes cidades; em não se colocar em primeiro lugar o transporte ferroviário e mesmo o marítimo; em não se ter investido fortemente no metro, como foi feito por toda a Europa em relação aos grandes centros urbanos, mantendo em funcionamento mini-metros nas Áreas Metropolitanas de Lisboa e do Porto, o que se tem na verdade feito é promover o transporte individual e o transporte rodoviário de mercadorias, transportes caros, que fragilizam a economia e a sociedade portuguesa tornando-as, em termos energéticos, extremamente dependentes do exterior ampliando assim os efeitos dos choques petrolíferos e da energia cara como está a suceder. A imprevidência e a incompetência pagam-se caras mesmo em termos nacionais.

O governo actual parece ainda não ter aprendido a lição, ao avançar, numa decisão de posso, quero e mando, uma repetição dos 10 estádios de futebol, com os mega-projectos do TGV e Ota, mal estudados e sem ter avaliado as repercussões que eles terão em relação a outros projectos que o país necessita para sair do estado de atraso em que se encontra, e onde o Estado terá de ter necessariamente um papel motor, face à fragilidade do tecido económico português e à incapacidade dos mercados para resolver os verdadeiros problemas nacionais. Aumentar a baixíssima eficiência energética que se verifica no nosso País, e corrigir as graves distorções que se verificam a nível dos diversos modos de transporte em Portugal, que, a persistirem, contribuirão para agravar ainda mais a grave crise económica e social actual, devia ser um objectivo prioritário da acção do governo. E não serão meras declarações como as feitas pelo ministro das Finanças no fim do ECOFIN que resolverão problemas nacionais como estes.

Para ler todo o artigo visite:http://resistir.info

 

Portugal Ressuscitado editou às 19:12
link do post | comentar | favorito
|

Janeiro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18

20
21
22
24
25
26

27
28
29
30
31


Defendendo Olivença


Em defesa do português Oliventino

Olivença back to Portugal

Pesquisar no blog

 

Artigos Recentes

Incrível! Inqualificável!

Sócratres e Olivença

A propósito da REGIONALIZ...

será...

Possivel encerramento...

Relembrando...

Hoje estamos em greve

Sobre o maior português.....

Promoção ou traição?

Retaliação...

Arquivos

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Julho 2007

Maio 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Nossos grupos


Olivença é Portuguesa-msn
Por Olivença (Orkut)
Por Olivença (Gazzag)
Viver Livremente (Yahoo)
Liberdade Cristã (Yahoo)
Liberdade Cristã (Gazzag)
Liberdade Cristã (Orkut)

Nossos sites


Nossos sites & Blogs
Miguel & Sylvia
Homepage de Miguel Roque
Orgulho de ser Alentejano
Liberdade cristã

Nossos blogues


Tuga & Zuca
Filhos & Netos
Caminho de Fé
Busca primeiro o Reino
Liberdade Cristã (blog)
Viver Livremente
Alentejano de alma e coração
Alentejo Abandonado
Meu Alentejo amado
Sonho Alentejano
Povo Lusitano
Amizade, Portuga-Galiza
Aqui fala-se português
Península Ibérica
Península Ibérica-ZipNet
Republica, sim…
Independência em perigo
EU, acredito em Portugal
Portugal Ressuscitado
A Bandeira Vermelha
Bandiera Rossa
A voz do proletário
Olivença é Portuguesa
Jornal de Olivença
No meio do inimigo
Sylvinha em Portugal
Sub-blog do tapete
Vira útil
Chiquinha e nós

Estou no...


Estou no Blog.com.pt

E você, blogaqui?
blogs SAPO

subscrever feeds

tags

todas as tags